Aulas à distância estão sendo aprimoradas, professores e alunos se dedicam por amor à música

A ABDA Filarmônica, projeto musical totalmente gratuito mantido pela Associação Bauruense de Desportes Aquáticos (ABDA), em parceria com o escritório de advocacia Abramides Gonçalves, teve que se reinventar desde meados de março com a suspensão das aulas presenciais, devido ao isolamento social para conter o avanço do coronavírus causador da Covid-19. Atualmente, no total, são cerca de 350 crianças de Bauru (SP) que estudam música em diversos instrumentos e também nas aulas de canto coral e musicalização do projeto.

Na primeira etapa do desafio de seguir com as aulas à distância, os professores se desdobraram para direcionar atividades aos alunos em turmas organizadas por meio de aplicativo de mensagens. Alguns estão com instrumentos em casa, o que facilita os estudos. “Após a primeira semana, todos sabíamos que iriamos continuar, mas precisávamos aperfeiçoar nossos recursos tecnológicos, o qual não parecia tão fácil”, relata a coordenadora da ABDA Filarmônica, professora Rosa Tolon.

+Leia mais: ABDA Filarmônica adapta atividades durante isolamento social

Na segunda etapa, iniciou-se um trabalho online com os alunos da turma mais avançada, chamada de Rendimento, que inclui os componentes da Orquestra Filarmônica em formação. A coordenadora explica que a resposta dos alunos de Rendimento em Instrumento tem sido 100%, fazendo aulas individuais online duas vezes por semana. “Professores e alunos de música continuam trabalhando, com outros recursos, outros métodos, mas não paramos. Pensamos que se a Arte tem sido um refúgio para muitas comunidades nesta época difícil, nós que fazemos Arte, não tínhamos motivo para ficar parados”, pontua.

Amor pela música – A professora ressalta a importância do amor pela música para enfrentar esse momento difícil. “Os alunos não são profissionais, são crianças em fase de formação. Nosso trabalho envolve vocação e amor e, por isso, não tem sido difícil motivar a uma boa parte deles, pois também amam a música e se entregam ao estudo dela”, conta.

A esta nova etapa de aprendizado somaram-se as turmas de Linguagem Musical, Musicalização e Coral.  “Além dos conteúdos acadêmicos foram encaminhados jogos musicais e orientamos a escuta de Concertos com artistas de renome, a fim de que olhassem também para outras atividades que contribuem na formação artística”, explica a coordenadora.

Alunos Higor Cunha Ferreira da Silva e Miguel Cunha Ferreira da Silva, Manuela Coracini da Silva, Enzo Bruno Pardini Benício e Samara Laurys Doneda

Higor e Miguel Cunha Ferreira da Silva, Manuela Coracini da Silva, Enzo Bruno Pardini Benício e Samara Laurys Doneda

Dedicação online – O professor Alex Rodrigues trabalha com os alunos dos sopros de metais, como trompete, trombone, tuba e eufônio. Ele produz um vídeo a cada semana e posta no YouTube para seus alunos. Foi a forma encontrada para obter mais qualidade, além de tarefas escritas para os iniciantes.

Os alunos assistem e retornam para o professor.  “Eles gostaram do vídeo, falaram que ajudou bastante. As mães dizem estar gostando, pois ajuda a ocupar o tempo deles em casa e a deixar um pouco o celular de lado”, relata Alex.

Davi Silva Xavier, Jessica Monghini Dos Santos, Pedro Wakay Prado, Luisa Santos Xavier, Maria Clara Alves Denegry, Mariana Yumi Matsui, Raphaela de Araujo Moneggetti e Brayan Martins Duarte

Davi Silva Xavier, Jessica Monghini Dos Santos, Pedro Wakay Prado, Luisa Santos Xavier, Maria Clara Alves Denegry, Mariana Yumi Matsui, Raphaela de Araujo Moneggetti e Brayan Martins Duarte

Driblando a dificuldade – A professora Rosa Tolon preparou um cantinho em sua casa para as aulas online de piano. “Nunca pensei que fosse usar esse recurso com crianças, mas os alunos estão gostando e se incorporam à aula com muita atenção”, afirma.

A aula online se realiza com os alunos de Piano Rendimento, mas a professora também envia vídeos e exercícios gravados para as aulas coletivas de Piano e Linguagem Musical. “Tenho uma aluna das iniciantes (Maria Clara Alves Denegry) que não tem piano e fez os exercícios num teclado que desenhou num papel; segundo tocava, cantava as notas. Fiquei emocionada!”, conta Rosa.

Alanis Fernandes Geraldo, Ana Laura Martins Pereira, Valentina Victória de Souza e Mariana Hisatugo Ishikawa

Alanis Fernandes Geraldo, Ana Laura Martins Pereira, Valentina Victória de Souza e Mariana Yumi Hisatugo Isshikara

Atividades individuais – O professor Tiago Barretta trabalha com os alunos dos instrumentos de sopros de madeira, como flauta, clarinete e saxofone, além das turmas de Musicalização. Com experiência em informática, o professor conseguiu se organizar rapidamente para as atividades online. Tiago atende a seus alunos de instrumentos de forma individual duas vezes na semana e envia gravações e vídeos para os alunos de Musicalização que retornam com os exercícios.

A professora Rosangela Salles orienta as tarefas de Linguagem Musical, estabelecendo um intercâmbio com os alunos de forma escrita. Essa atividade, que teve início há poucos meses na ABDA Filarmônica, segue à distância, pois é muito importante para a formação musical dos alunos.

Layla Farhat Scardovelli Rocha, Jhemily Renata da Silva Moreira e Ana Rosa Pirola Bezerra

Layla Farhat Scardovelli Rocha, Jhemily Renata da Silva Moreira e Ana Rosa Pirola Bezerra

Separados, porém juntos – O professor Irandi Fernando Daroz dá aulas para a turma do Coral Rendimento. “Estamos trabalhando por WhatsApp. No sábado (18/4), faremos nossa primeira reunião via Skype. Os alunos estão enviando áudios das músicas estudadas. Na Musicalização e Coral, solicitamos aos alunos que continuassem enviando vídeos dos materiais já postados para nos certificarmos do estudo. Analisamos materiais de linguagem musical e orquestra para que os conteúdos fossem introduzidos de forma lúdica e interativa”, explica o professor.

Roberto Savioli Mota, Micael Alves da Silva, Ana Laura, Arthur Savioli Mota, Rayssa Yasmin de Oliveira, Pedro Santos Oliveira e Deborah Santos Oliveira, Lorena Vitória Bento Torres, Lavínia Agatha Rocha, Ana Beatriz da Costa e Misael Alves da Silva

Roberto Savioli Mota, Micael Alves da Silva, Ana Laura, Arthur Savioli Mota, Rayssa Yasmin de Oliveira, Pedro e Deborah Santos Oliveira, Lorena Vitória Bento Torres, Lavínia Agatha Rocha, Ana Beatriz da Costa e Misael Alves da Silva

O professor de Cordas Luciano Manduca, envia o material em PDF e os alunos retornam com as gravações ou vídeos dos exercícios. Um ensaio coletivo com a Orquestra é ainda uma tentativa, pois tecnologicamente é difícil, mas os professores seguem planejando. “Por enquanto, envio um playback da Orquestra para cada um interpretar sua parte e gravar em cima, já temos alguns resultados”, conta o professor.

Além das aulas à distância, o trabalho administrativo segue na ABDA Filarmônica. A funcionária Jislaine Cristina dos Santos continua a atualização dos cadastros dos alunos, o que facilita o rápido contato com eles. “Muito aprendizado e muitas vantagens temos encontrado nesta modalidade. Por isso, agradecemos aos pais que nos apoiam e aos filhos dispostos a crescer. Porém, nos falta o encontro, a prática coletiva, a socialização das crianças, um importante objetivo do ‘Fazer Musical’. Quando tudo voltar à normalidade, recomeçaremos com maior força”, promete a coordenadora Rosa Tolon.

Foto principal: Professora Rosa Tolon em seu cantinho especialmente preparado para as aulas de piano

prof rosa_destacada