Com foco no trabalho em equipe, ABDA figura entre os melhores clubes do Brasil

A Associação Bauruense de Desportes Aquáticos (ABDA) nasceu do polo aquático e a natação, um dos fundamentos da modalidade, não poderia deixar de ser um esporte também presente no Projeto Futuro. Já em 2011, ano de fundação da ABDA, os primeiros atletas da natação conquistaram índices e representaram a associação em campeonatos paulistas. Nesse mesmo ano, foram conquistadas as primeiras medalhas.

A ABDA é afiliada a Federação Aquática Paulista (FAP) e a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), entidades que gerenciam os esportes aquáticos do Brasil. A equipe de natação da ABDA conta, hoje, com 2.466 inscritos treinando e 370 atletas que competem em quase todas as categorias, de pré-mirim a juvenil. A ABDA ainda conta com uma equipe de atletas com deficiência, que disputam em várias classes na categoria Pessoas com Deficiência (PCD).

Todos participam mensalmente de competições de âmbitos regionais, estaduais e nacionais, como Jogos Regionais, Campeonato Paulista e Campeonato Brasileiro de Natação, promovidas pela FAP e pela CBDA. Atletas da natação da ABDA também já tiveram oportunidade de competir no exterior.

As competições de natação podem ser realizadas em piscina olímpica (longa) de 50 metros ou em piscina semiolímpica (curta) de 25 metros. Existem diferentes disputas nas provas individuais e os revezamentos em campeonatos estaduais e brasileiros são 4x50m livre e medley, 4x100m livre e medley e 4x200m livre.

participam mensalmente de competições de âmbitos regionais, estaduais e nacionais

ABDA participa mensalmente de competições de âmbitos regionais, estaduais e nacionais – crédito: Donato Fidelis

Categorias – A natação é divida nas seguintes categorias, conforme a faixa etária, e ABDA compete em cada uma delas conforme segue:

  • pré-mirim (6, 7 e 8 anos): nada principalmente em nível regional; campeonatos a nível sudeste; provas de 25 a 50 metros.
  • mirim 1 (9 anos): nada principalmente em nível regional; campeonatos a nível sudeste; provas até 100 metros livre.
  • mirim 2 (10 anos): – nada principalmente em nível regional; campeonatos a nível sudeste; provas até 200 metros livre e medley.
  • petiz 1 (11 anos): nada em nível regional, inter-regional, estadual e sudeste; provas de 400m livre, 50m livre, 200m medley, 100m livre, costas, borboleta e peito.
  • petiz 2 (12 anos): nada em nível regional, inter-regional, estadual e sudeste; provas de 800m livre, 400m livre, 50m livre, 200m medley, 100m e 200m livre, costas, borboleta e peito.
  • infantil 1 (13 anos) e infantil 2 (14 anos): nada em nível regional, inter-regional, estadual, sudeste e brasileiro; provas de 1500m livre (masculino), 800m livre (feminino), 400m livre, 50m livre, 200m medley, 400m medley, 100m e 200m livre, costas, borboleta e peito.
  • juvenil 1 (15 anos) e juvenil 2 (16 anos): nada em nível regional, inter-regional, estadual, sudeste e brasileiro; provas de 1500m livre (masculino e feminino), 800m livre (feminino e masculino), 400m livre, 50m livre, 200m medley, 400m medley, 100m e 200m livre, costas, borboleta e peito.
  • junior 1 (17 anos), junior 2 (18 e 19 anos) e sênior (20 anos para cima): nada em nível regional, inter-regional, estadual, sudeste e brasileiro; brasileiro absoluto a partir de sênior; provas de 1500m livre (masculino e feminino), 800m livre (feminino e masculino), 400m livre, 50m livre, 200m medley, 400m medley, 100m e 200m livre, costas, borboleta e peito (entram as provas de 50m borboleta, 50m costas e 50m peito)
Em 2015, atleta Leonardo Suzuki Rossi foi primeiro medalhista brasileiro da natação da ABDA

Em 2015, atleta Leonardo Suzuki Rossi foi primeiro medalhista brasileiro da natação da ABDA

Histórico ABDA – Em 2013, a natação da ABDA participou de sua primeira final “b” de campeonato absoluto. O atleta Cadu Lanças nadou os 50m borboleta na final do Troféu José Finkel. Mais tarde, o atleta se tornaria técnico de natação na ABDA.

Em 2014, atletas da ABDA foram pela primeira vez ao México para treinar e competir no Campeonato Nacional Mexicano de Piscina Curta, em Pachuca, conquistando medalhas.

Em 2015, teve início a natação paralímpica na ABDA, criando oportunidade para atletas com deficiência. No mesmo ano, surgiu o primeiro medalhista brasileiro da natação convencional da ABDA. O atleta Leonardo Suzuki Rossi conquistou a 3ª posição na prova dos 100m costas, categoria juvenil 2.

Em 2016, a inauguração da Arena ABDA trouxe para Bauru a possibilidade de sediar grandes competições. Nesse ano, a Arena sediou seu primeiro Campeonato Paulista, no qual registrou seus primeiros recordes da competição. A atleta Sophia Coleta se tornou recordista paulista na categoria petiz 1, nas provas de 400m e 200m livre.

Ao lado do técnico Felipe Pereira, a recordista paulista Sophia Coleta ganhou placa na Arena ABDA

Ao lado do técnico Felipe Pereira, a recordista paulista Sophia Coleta ganhou placa na Arena ABDA

Ainda em 2016, na natação paralímpica, o atleta Lucas Simões conquistou a prata no Open Paralímpico. Já o atleta paralímpico Matheus Menezes foi convocado para Seleção Brasileira de Jovens.

Em 2017, foi inaugurada a segunda piscina da Arena ABDA, ampliando as possibilidades de treinos e competições em Bauru. A ABDA conquistou, nesse ano, troféu de 5ª melhor equipe sênior do Campeonato Paulista de Verão e melhor colocação do revezamento 4x50m em um campeonato absoluto, ficando em 5º lugar. Na natação paraolímpica, os atletas Matheus Ribeiro e Ana Laura Vieira somaram oito ouros nos Jogos Parapan-Americanos de Jovens.

Em 2018, pela primeira vez a ABDA passou de 50 medalhas em campeonatos paulistas, na soma anual. A atleta Sophia Coleta se torna a primeira campeã brasileira da natação da ABDA e teve sua primeira convocação para o Troféu Chico Piscina. Na competição, Sophia conquistou 3 ouros nos revezamentos 4 x 100m livre misto, 4x100m livre feminino e 4x100m medley feminino. Além disso, a atleta foi bronze nos 200m livre, representando a seleção da Federação do Estado de São Paulo (FAP), no qual a delegação sagrou-se campeã.

O Campeonato Paulista Infantil de Verão 2018 foi o melhor da história para a natação da ABDA, na categoria infantil

Campeonato Paulista Infantil de Verão 2018 foi o melhor da história para natação da ABDA, na categoria infantil

Entre os melhores – No ano de 2018, a ABDA passou a figurar entre as melhores entidades de base do Estado de São Paulo, em 6º colocado nas respectivas categorias. Foram conquistados os primeiros troféus de 5º lugar de categorias individual de base (petiz, infantil e juvenil).

Na natação paraolímpica, a Arena sediou o Campeonato Paulista – Troféu Daniel Dias e a ABDA foi bicampeã. Ainda em 2018, o atleta Bruno Ribeiro conquistou 2 ouros na Paralimpíadas Escolares e a ABDA se consagra campeã geral no II Open Paulista FAP.

Em 2019, a ABDA registrou seu recorde de medalhas em campeonatos paulistas, passando a casa de 70 medalhas, um total de 74. No Campeonato Brasileiro desse ano, a ABDA conquistou um total de 12 medalhas.

A ABDA ainda ficou entre os 5 melhores clubes de base do Estado, nas temporadas de Inverno e Verão e foi 9º melhor clube do Brasil na categoria infantil, no Campeonato Brasileiro de Verão, competindo com somente 12 atletas.

Convocação – O ano de 2019, ainda traria a primeira convocação de atleta da ABDA para a seleção brasileira da natação. Sophia Coleta foi convocada para disputar o Campeonato Internacional – Troféu Chico Piscina e também para compor a seleção brasileira que representou o país nos Jogos Sul-Americanos Escolares. A atleta sagrou-se campeã em suas principais provas na competição.

No mesmo ano, a ABDA viu seus atletas de categorias de base atingirem índices de campeonatos absolutos, demonstrando a crescente evolução da equipe.

Foto principal: Técnicos Cadu Lanças e Max durante treino dos atletas da natação – crédito: Donato Fidelis

destacada