Atletas sub-13 trocam experiência com Luan Barbieri, goleiro da 1ª participação da ABDA no festival

Desde 2011, um ano após a criação do Projeto Futuro, a Associação Bauruense de Desportes Aquáticos (ABDA) envia seus pequenos atletas de polo aquático para todas as edições do Festival Internacional HaBaWaBa. O torneio é o mais importante evento de polo aquático infantil, para categorias de formação em todo o mundo, inclusive contando com apoio do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

A oportunidade de participar do festival na Itália serve de incentivo para as crianças seguirem no esporte, treinando na ABDA e obtendo inúmeras conquistas. Muitas delas chegaram a convocações para compor a seleção brasileira e colecionaram vitórias, além de paralelamente se desenvolverem como cidadãos e se dedicarem à vida escolar.

A ABDA firmou contrato com a Waterpolo Development (WPD) para trazer o Festival HaBaWaBa ao Brasil, na categoria sub-13 misto, a partir deste ano de 2020. Embora exista um cenário de incertezas devido à pandemia do novo coronavírus, causador da covid-19, os preparativos seguem em Bauru para sediar a primeira edição brasileira do festival, entre os dias 9 e 13 de dezembro. O site do evento deve ser lançado em breve e as inscrições abertas. O objetivo é receber até 20 times do Brasil, América do Sul e até de outros continentes. Informações já podem ser obtidas pelo e-mail contato@habawababrasil.com.br.

Equipe sub-13 misto da ABDA está empolgada para o festival HaBaWaBa Brasil

Equipe sub-13 misto da ABDA está empolgada para o festival HaBaWaBa Brasil

+ Leia mais: ABDA traz para Brasil e América Latina importante Festival HaBaWaBa

+ Leia mais: ABDA e HaBaWaBa Brasil são destaques no Exterior

Encontro de gerações – HaBaWaBa é um acrônimo para “Happy Baby Water Ball”, em inglês, que pode ser traduzido como a alegria de uma criança em praticar “o jogo da bola na água”. HaBaWaBa simboliza a capacidade de compartilhar, interagir, conhecer um ao outro, combinando as emoções que o esporte traz com a riqueza de estarem juntos.

Durante um treino, em uma sessão de fotos para a elaboração do site do HaBaWaBa Brasil, um encontro inusitado chamou a atenção. Atletas da atual equipe sub-13, que deverão participar do festival em Bauru em dezembro, tiveram oportunidade de estar com Luan Barbieri, goleiro do primeiro time da ABDA que foi ao HaBaWaBa da Itália, em 2011.

+ Leia mais: Atleta da ABDA é aprovado em 12º no Barro Branco dentre 17 mil candidatos

+ Leia mais: Atletas da ABDA convocados para compor Seleção Brasileira no Pan-Americano

Luan começou a jogar polo aquático aos 10 anos e foi campeão em diversas competições

Luan começou a jogar polo aquático aos 10 anos e foi campeão em diversas competições

Oportunidade e incentivo – Luan Barbieri contou como foi a oportunidade de participar do HaBaWaBa com apenas 10 anos de idade. “Eu treinava polo aquático há apenas 7 meses e tive a oportunidade de ir jogar na Itália”, relembra o ex-atleta que, após colecionar diversas conquistas no polo aquático, hoje é aluno da Academia de Polícia Militar do Barro Branco (APMBB), aprovado em 11º lugar dentre 17 mil inscritos no concurso, em 2019.

“Participar do HaBaWaBa é um incentivo gigante para o atleta continuar. Depois do festival, eu continuei treinando e vieram muitas conquistas. Em 2015, fui chamado para jogar por um time dos EUA e fui campeão. Também fui campeão sul-americano, em 2016 e depois em uma categoria mais velha, fui bronze e vice em pan-americanos e ainda campeão brasileiro várias vezes”, conta o goleiro que, mesmo fora das competições, sempre que pode aproveita para matar a saudade do polo aquático com os colegas na ABDA.

Atletas sub-13 receberam visita do goleiro Luan Barbieri durante treino e sessão de fotos

Atletas sub-13 receberam visita do goleiro Luan Barbieri durante treino e sessão de fotos

Mensagem do campeão – Luan conta que o esporte o ensinou a ter foco em seus objetivos. O atleta sempre procurou cultivar o lema da ABDA – humildade, persistência e fé – e hoje se alegra de ser espelho para as crianças iniciantes no esporte.

“Eu treinava, estudava para o concurso e fazia faculdade de Direito. As palavras humildade, persistência e fé realmente definem muito bem a ABDA. Nem sempre no esporte você está por cima. Muitas vezes está em uma semana ou mês ruim de treino e é normal. Mas, se você tiver persistência para treinar, humildade para quando chegar ao topo saber a trajetória que passou, que não nasceu ganhando, e ter a fé em uma religião como suporte, você conquista seus objetivos”, encoraja o futuro oficial da PM.

Créditos das fotos: Wilian Olivato e Arquivo pessoal

destacada