Daniel Nascimento venceu os 10km adulto; Ana Beatriz Trajano foi vice-campeã nos 4Km sub-18

O atleta Daniel Nascimento da Associação Bauruense de Desportes Aquáticos (ABDA) fechou o ano como o brasileiro melhor colocado na 95ª Corrida de São Silvestre, em São Paulo, e abriu 2020 com uma grande vitória. O fundista foi campeão dos 10km categoria adulto ao completar o percurso em 32min07, na Copa Brasil Caixa de Cross Country, realizada na cidade de Serra, no Espírito Santo, no sábado (18/1). A competição abriu o calendário de provas de 2020 da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt).

Com a vitória, Daniel Nascimento garantiu vaga para representar o Brasil na Copa Pan-Americana de Cross Country, em Victoria, no Canadá, no dia 29 de fevereiro.

Ainda nos 10km adulto masculino, o atleta da ABDA Marcos Felipe dos Santos conquistou a 7ª colocação. Nos 6km categoria sub-20, Leticia Bello conquistou a 5ª colocação e Ana Beatriz Trajano foi vice-campeã dos 4km do sub-18, com o tempo de 16min28.

A Copa Brasil reuniu mais de 280 atletas de 41 clubes, representando 13 Estados e o Distrito Federal, no Condomínio Alphaville Jacuhy. As provas foram disputadas sem sol, mas com o tempo abafado e temperaturas variando entre os 21 graus e 27 graus.

Leticia Bello, Marcos Felipe Ana Beatriz Trajano e Daniel Nascimento com o técnico Neto Gonçalves

Leticia Bello, Marcos Felipe Ana Beatriz Trajano e Daniel Nascimento com o técnico Neto Gonçalves

Recomeço na ABDA – Campeão sub-18 e sub-20 em edições anteriores da Copa Brasil de Cross Country, Daniel Nascimento agora conquistou também o título do adulto, totalizando cinco vitórias na competição. “É muito bom estar de volta, depois de mais de um ano parado. Estou bem treinado e conseguindo bons resultados”, disse Daniel, que ainda comemora a conquista de ter sido o brasileiro mais bem colocado (11º) na Corrida de São Silvestre, em São Paulo. “Vou me dedicar às provas de 1.500 m a 5.000 m na temporada”, revelou.

Campeão brasileiro de diversas provas do sub-18 ao adulto, Daniel resolveu parar em 2018, cansado de tratar de uma lesão no pé. Foi trabalhar com o corte de cana e arrancar mandioca na cidade de Paraguaçu Paulista (SP), onde nasceu. “Eu sempre corria no intervalo do trabalho e um dia pedi ajuda ao técnico Neto Gonçalves, de Bauru. Agora, estou de volta. Agradeço muito a Deus”, comentou o atleta, que hoje faz parte da equipe da ABDA.

destacada