Evento com 90 técnicos de todo o país e nomes da modalidade debateu etapas e futuro do polo aquático

Na última semana, os técnicos de polo aquático da Associação Bauruense de Desportes Aquáticos (ABDA), Jose Ribeiro Jr, Maria Barbara Amaro, Alexandre Dezani, Paulo Rogério Moraes Rocha, Felipe Moreira Gonçalves e Emerson Martins, participaram do Encontro Nacional de Técnicos de Polo Aquático, no Parque Aquático Maria Lenk, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

O evento organizado em parceria pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) e Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) teve a participação de 90 técnicos de todo o país. Além disso, reuniu grandes nomes da modalidade, como o coordenador de Seleções Rick Azevedo, a bicampeã olímpica e mundial, a americana Maggie Steffens, e o medalhista olímpico Tony Azevedo, brasileiro naturalizado americano.

O objetivo do encontro foi abordar temas diversos como: pedagogia esportiva, condicionamento físico, técnico e mental, nutrição, regras e interpretações, questões comportamentais, planejamento de treinos físicos e táticos. Também foram apresentadas e debatidas questões gerais e planejamento a longo prazo da modalidade no Brasil, permitindo que os profissionais trabalhem juntos, padronizando processos de ensino e aprendizagem da modalidade.

Foram três dias de palestras, em que os participantes puderam contar com a expertise dos profissionais que cuidam do alto rendimento no Brasil

Foram três dias de palestras com profissionais que cuidam do alto rendimento do polo aquático no Brasil

Foram três dias de palestras, em que os participantes puderam contar com a expertise dos profissionais que cuidam do alto rendimento no Brasil, como o coordenador de Ações Médicas do COB Roberto Nahon, a psicóloga Alessandra Dutra, o coordenador de Preparação Física Josué Moraes, o nutricionista Ruan Santos e o presidente da Sociedade Brasileira de Treinadores e Consultor Pedagógico do COB Antônio Carlos Gomes.

Para o técnico da ABDA Emerson Martins, o evento foi muito produtivo não apenas por abranger todas as etapas do processo evolutivo do atleta, pedagogia, divisões de treinamento em faixas etárias e níveis de evolução. “O Congresso foi positivo também por reunir técnicos do Brasil inteiro e proporcionar troca de experiências do que tem sido praticado em cada região. Além disso, houve definição sobre futuros campeonatos nacionais e integração do país com relação ao polo aquático”, comenta o técnico.

O Encontro Nacional de Técnicos de Polo Aquático também valeu como certificado para que os técnicos possam atuar nos campeonatos nacionais.

Encontro Nacional de Técnicos de Polo Aquático1